28.7.11

sorria!!



olá a todos, tudo bem??

hoje vou postar algumas reportagens que mostram o quão importante é sorrir para a nossa saúde:


Sorrir é mesmo o melhor remédio, aponta estudo
(revista veja)

Sorrir faz bem à saúde. É o que aponta um estudo da Universidade Wayne, em Michigan, nos Estados Unidos. De acordo com os pesquisadores, quanto mais largo o sorriso de uma pessoa, maior a sua expectativa de vida.

O estudo baseou-se na análise de 230 imagens de jogadores da Liga de Baseball americana de 1952. Cada figura foi listada com informações pessoais dos esportistas, considerando idade, peso, altura e estado civil. Em seguida, as expressões faciais das fotografias receberam classificação de acordo com seus sorrisos e linhas de expressão.
Os dados foram, então, cruzados e os resultados indicaram que os jogadores que "sem sorriso" viveram em média 72,9 anos, enquanto os que apresentaram "sorriso parcial" chegaram aos 75. Já os mais sorridentes atingiram quase uma década a mais, no geral 79.9 anos.
A pesquisa ainda ressaltou que os sorrisos falsos e "amarelos" não puderam ser considerados. Apenas os que demonstraram genuína felicidade atingiram uma maior expectativa de vida.


Sorrir faz bem à saúde   (hospital albert einstein) 
Parece piada, mas há quem afirme que dar boas gargalhadas diante de situações que causam dor, como quebrar uma perna, pode amenizar o desconforto. De certa forma, faz sentido: a cada sorriso o cérebro é induzido a produzir e liberar mais endorfina, o neurotransmissor relacionado às sensações de prazer e bem-estar, além de ser um potente analgésico natural.

Mas para os especialistas, não é apenas com um sorriso que a dor intensa vai passar. “Ainda há poucas pesquisas nesse sentido, mas já é comprovado que o sorriso causa uma ação bioquímica no organismo que resulta em reações benéficas, mas não a ponto de cessar a dor intensa”, acredita Sérgio Luís de Miranda, médico e cirurgião especialista em cirurgia buco-maxilo-facial do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). “Dizem até que o sorriso é tão eficiente quanto o relaxamento, a meditação e os exercícios físicos”, completa o dr. Miranda.

Sorrir pode até não ser o melhor – ou único – remédio, mas que faz bem à saúde os especialistas concordam. Pesquisa divulgada em 2006 pela Escola de Medicina da Universidade Loma Linda, na Califórnia (EUA), comprova que o riso colabora para aumentar a produção e a atividade no organismo das células NK (do inglês, natural killers), responsáveis por destruir vírus e até tumores presentes no organismo. E mais: o sorriso vem sendo utilizado como recurso de humanização no cuidado de pacientes em hospitais do mundo todo.

O filme Patch Adams – O Amor é Contagioso, de 1998, em que um médico se veste de palhaço para atender crianças internadas, trouxe o tema para as telas e a realidade americana já é vivida por grupos de atores que, vestidos de palhaços, visitam hospitais para aumentar a auto-estima e alegrar os pacientes, familiares e profissionais da saúde.

Para Ana Lúcia M. da Silva, psicóloga do Departamento de Pacientes Graves do HIAE, o riso pode ser um recurso terapêutico na medida em que altera o estado emocional da pessoa, tornando-a mais favorável a enfrentar situações psicologicamente difíceis, como uma doença grave na família.

“O senso de humor e o sorriso espontâneo estão relacionados a melhor qualidade de vida e percepção de bem-estar, além de favorecer o enfrentamento de adversidades e frustrações. Entretanto, não podemos relacionar a isso maior possibilidade de cura não relacionada a fatores comportamentais, como a adesão ao tratamento, por exemplo”, defende a psicóloga.

Benefícios extras para o corpo

Além de garantir boas doses de endorfina e proporcionar bem-estar, uma boa risada ainda traz vantagens para os sistemas cardiovascular, respiratório e imunológico.
O senso de humor e o sorriso espontâneo estão relacionados a melhor qualidade de vida e percepção de bem-estar

Sistema cardiovascular

É ativado com o sorriso, o que aumenta a frequência cardíaca e a pressão arterial, além de provocar a vasodilatação das artérias. Esse conjunto de reações proporciona maior fluxo de sangue para todo o organismo.

Sistema respiratório

Durante a risada os pulmões passam por uma hiperventilação, o que eleva a concentração de oxigênio na circulação sanguínea e resulta em melhor distribuição de oxigênio aos tecidos.

Sistema imunológico

Além de colaborar para a produção das células NK, as boas gargalhadas aumentam a quantidade de saliva, que também é benéfica para a imunidade. “Com o acréscimo da saliva, sobe o nível de imunoglobulina, substância capaz de combater gripes e resfriados”, explica Ana Paula Zalchenko Fonseca, cirurgiã-dentista especialista em cirurgia buco-maxilo-facial do HIAE.
Depois de tantos benefícios, o que vale mesmo é uma risada sincera e natural. Esta sim desencadeia os mecanismos do corpo para a produção de endorfina e a sensação de prazer e bem-estar. Então, sorria! Seu corpo e sua mente agradecem.

24.7.11

Como deve ser o atestado médico para a prática esportiva?

Atualmente um dos atos mais solicitados no nosso dia-a-dia médico é o “atestado para fitness” que muitas vezes é feito sem padronização alguma e, às vezes, com imprecisões que podem representar problemas futuros para o médico. É o caso de um recente atestado que libera o paciente “para atividades, mas evitando esforço físico” (sic), o que, no mínimo, é contraditório, outro é o que a grande maioria dos médicos atesta: que está APTO para a pratica de atividade física (qual seria essa aptidão spinning, musculação?).

Segundo o conselheiro do CREMESP e cardiologista Dr. Renato Azevedo “o atestado médico é documento importante tanto para o paciente que o recebe quanto para o médico que o emite, sendo ato médico exclusivo". O Código de Ética Médica reserva todo um capítulo para normatização da emissão de boletins e atestados, com oito artigos.

O Cap. X veda ao médico fornecer atestado sem ter praticado o ato profissional que o justifique, ou que não corresponda à verdade (art. 110); expedir boletim médico falso ou tendencioso (art.116); deixar de atestar atos executados no exercício profissional, quando solicitado pelo paciente ou seu responsável legal; e considera, ainda, que o atestado médico é parte integrante do ato médico, sendo o seu fornecimento direito do paciente (art.112).

Quando solicitados e autorizados pelo paciente, temos o dever de fornecer atestado com a expressão fiel da consulta clínica (anamnese, exame físico e exames subsidiários) que forem necessários. A solicitação de atestado de liberação para atividade física pelo cardiologista é hoje muito frequente. A necessidade de comprovar a inexistência de doenças que possam causar morte súbita relacionada ao exercício implica a avaliação de todas as pessoas praticantes de atividades físicas, competitivas ou não.

Pela diretriz da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte, e várias manifestações abalizadas em Congressos de Cardiologia, essa avaliação deve conter anamnese precisa, exame físico minucioso, com ênfase para o aparelho cardiovascular, e de exames complementares como o eletrocardiograma e o teste ergométrico, este recomendado para homens acima de 35 e mulheres acima de 45 anos.

Sem dúvida, devemos alertar que, pelo código do consumidor e dependendo da interpretação judicial, uma morte em academia ou exercícios sob orientação de assessoria esportiva tem a responsabilidades do proprietário, do executor dos exercícios e do médico que atestou a liberação. No atestado, o médico deve deixar claro se o paciente não tem contraindicações para atividade física, qual o tipo de exercício adequado, se a atividade deve ser feita sob prescrição ou acompanhamento médico ou se está proibido de praticar exercícios. É recomendável também informar as limitações clínicas existentes e determinar a frequência cardíaca mínima e máxima no exercício.

Assim, o médico informa e orienta paciente e treinador de forma correta, do ponto de vista técnico e ético, sobre a capacidade e as limitações para atividade física.

23.7.11

Linhaça e suas propriedades anticancerígenas e antioxidantes

Nutricionista explica porque o óleo e a farinha de linhaça são alimentos funcionais que combinam com um estilo de vida saudável

A semente do linho (Linum usitatissimum), também conhecida como linhaça, é um dos mais importantes alimentos funcionais que podemos incluir na nossa alimentação. Sua origem é asiática, da região da Mesopotâmia, e os relatos de sua utilização remontam a milhares de anos antes de Cristo (5 mil A.C.).
Segundo a nutricionista da farmácia online Desejo Saúde, Alessandra Rocha, a funcionalidade dessa herbácea se deve aos benefícios que traz à saúde. “Com aproximadamente 39% de óleo em sua composição, a semente de linhaça é um dos alimentos mais ricos em ômega 3 de toda a natureza (cerca de 57%) e de ômega 6. O balanceamento ideal na quantidade desses dois ácidos graxos é que permite a produção das prostagladinas, responsáveis pela remoção do excesso de sódio dos rins. Ou seja, ao ingerirmos óleo ou farinha de linhaça, conseguimos diminuir a retenção de líquidos no corpo”, ela afirma.
Além do altíssimo teor de ácidos graxos essenciais ômega 3, ômega 6 e ômega 9, a linhaça contém compostos anticancerígenos, antioxidantes e de renovação celular, importantes para a prevenção de uma série de doenças. Incluir a linhaça na alimentação diária previne também as enfermidades cardiovasculares, por meio da redução do colesterol ruim e seu consequente acúmulo nas artérias. Além disso, ela melhora o funcionamento do metabolismo, contribui para a estabilidade dos níveis de glicemia nos diabéticos e, por conta das propriedades antioxidantes, ajuda a retardar o envelhecimento. Em sua composição estão presentes altas taxas de fibras solúveis, vitaminas C, E, B1, B2, caroteno, zinco, ferro, magnésio, potássio, cálcio e fósforo.

Como consumir?
A semente de linhaça pode ser consumida nas formas de óleo ou farinha. O óleo é extraído da semente inteira e comercializado em cápsulas, que costumam ser indicadas em tratamentos dermatológicos e antiinflamatórios, a fim de suplementar a necessidade de ácidos graxos no organismo.
Já a farinha da linhaça pode ser encontrada em dois tipos: marrom ou dourada. Do ponto de vista nutricional, elas são semelhantes. O que as diferencia é a forma de cultivo e o sabor. A linhaça dourada é cultivada em regiões frias e seu sabor é mais suave, enquanto a marrom possui uma casca mais resistente e é cultivada em regiões de clima quente e úmido, o que explica seu cultivo maior no Brasil.
“O ideal é consumir o óleo puro de linhaça, em pequenas quantidades, ou adicionar a farinha moída na hora aos sucos ou iogurtes. Há ótimas receitas de bolos, como por exemplo o de maçã, com farinha de linhaça, aveia, uvas passas, ovos, leite desnatado e açúcar mascavo. Se for diabético, utilize adoçante culinário no lugar do açúcar”, ensina Alessandra.

Aliada no emagrecimento
 
Para quem quer perder peso com saúde, a linhaça é um complemento alimentar nutritivo e eficaz. Após seu consumo, o cérebro produz um hormônio chamado colecistocinina, responsável pela sensação de saciedade. “O consumo regular da linhaça comprovadamente acelera o funcionamento do intestino, ajudando na eliminação das toxinas”, afirma Alessandra.
Pessoas que sofrem com intestino preso podem consumir até 2 colheres de sopa de farinha de linhaça por dia, em shakes batidos com frutas, sucos e em refeições mais pesadas como o almoço. Ela também pode ser adicionada ao feijão, à farofa ou outros alimentos. E quem tem um bom funcionamento intestinal deve consumir apenas 2 colheres de sobremesa por dia.
O consumo excessivo deve ser evitado. Para que os resultados da dieta, seja de emagrecimento ou outras, sejam positivos, a inclusão da linhaça deve ser equilibrada. Além de combater o sobrepeso, reduzir o colesterol e melhorar o intestino, algumas pesquisas também relacionam o consumo da linhaça à saúde da pele e dos olhos. “A saúde da pele reflete o bom ou o mau funcionamento do organismo”, Alessandra completa. 

 por: runner´s

13.7.11

relato: meia maratona de curitiba



video

video
olá a todos!

sim , encaramos a meia maratona de inverno de Curitiba, neste último domingo, dia 10 de julho

e o frio tava de rachar mesmo, tive q correr com uma segunda pele por baixo...
olha só a temperatura, pouco antes da largada:


fiquei muito surpreso com meu resultado, pois voltei a treinar há pouco, e completei a meia em 1h36min, meu recorde pessoal...

eu acredito q correr em novos ares (nunca tinha corrido em Curitiba), clima favorável (é muito bom correr no friozinho!), e cabeça descansada (sem stress, e sem preocupação em fazer tempo, corri de boa, desencanado) contribuíram para o meu resultado

agradecimento especial aos parceiros de viagem em mais essa nova aventura, o velocista Segatto, e o Edson, a máquina












8.7.11

How Running Benefits Your Body

 It's All Good
Scientists have discovered the fountain of youth—it's running. Studies continue to find that hitting the roads improves health and well-being. "The biggest benefits come from vigorous exercise like running," says JoAnn Manson, M.D., chief of preventive medicine at Brigham and Women's Hospital. Here are the latest reasons to lace up.


LOOK AHEAD
People who run more than 35 miles a week are 54 percent less likely to suffer age-related vision loss than those who cover 10 miles a week.

KEEP THE BEAT
Runners who log a weekly run of 10 miles (or more) are 39 percent less likely to use high-blood-pressure meds and 34 percent less likely to need cholesterol meds compared with those who don't go farther than three miles.

FUNCTION WELL
Men who burn at least 3,000 calories per week (equal to about five hours of running) are 83 percent less likely to have severe erectile dysfunction.

BUILD BONE
Running strengthens bones better than other aerobic activities, say University of Missouri researchers who compared the bone density of runners and cyclists. Sixty-three percent of the cyclists had low density in their spine or hips; only 19 percent of runners did.

THINK FAST
British workers were surveyed on a day they worked out and a day they didn't. People said they made fewer mistakes, concentrated better, and were more productive on the day they were active.

STAY SHARP
A study in the Journal of the American Geriatrics Society reported that women who were active as teenagers were less likely to develop dementia later in life.

SLEEP TIGHT
Insomniacs fell asleep in 17 minutes on days they ran, compared to 38 minutes on days they didn't. They also slept for an extra hour on days they exercised.

SNEEZE LESS
People who exercise for an hour a day are 18 percent less likely to suffer upper-respiratory-tract infections than those who are inactive, according to a study from Sweden. Moderate activity boosts immunity.

BREATHE EASY
Researchers had asthmatics do two cardio workouts and one strength session a week. After three months, they reported less wheezing and shortness of breath.

LIVE LONGER
A review of 22 studies found that people who work out 2.5 hours a week are 19 percent less likely to die prematurely than those who don't exercise. A separate study found that active people have a 50 percent lower risk of premature death.

7.7.11

loucura


Esses últimos dias eu tava pensando nesse asssunto, nossa, para as pessoas que correm, eles devem achar loucura o q fazemos...
Concordo, é loucura eu correr as 5:30 da manhã, nesse frio gelado que tá fazendo aqui no sul, temperaturas abaixo de zero!!

Mas quer saber, após cada treino nessas condições adversas, me sinto "o cara", uma sensação deliciosa!


Segue um matéria sobre o tema:

http://revistacontrarelogio.com.br/blogs/na-corrida/

As “loucuras” que fazemos pela corrida. Como explicá-las?


Como explicar para não corredores nossa paixão pelo esporte? Como não ser olhado com espanto com as “loucuras” que fazemos semanalmente, muitas vezes, diariamente? Você, que está lendo esse texto, já deve ter vivenciado, ao menos uma das situações abaixo…

Acordar no inverno, no frio, às 4h30, a hora mais gostosa do sono, para ir à rua, a um parque correr, fazer tiros, ritmo ou um longão. Ou disputar uma prova num domingão.

Deixar de sair na sexta-feira à noite porque, no sábado, logo cedinho, tem 30 km na planilha!
Ir dar uma “soltada” de 10 km ou 1 hora.

Dar mais importância na hora de arrumar a mala para o tênis, shorts, camiseta e relógio do que para TODO o resto.

Acordar se sentindo mal, de “nhaca”, mas mesmo assim sair para correr e, depois, sentir-se a melhor pessoa do mundo. Garanto, depois de correr, você pode até não estar melhor (o que é difícil), mas pior, eu asseguro, não ficará.

Abrir mão de uma deliciosa feijoada feita com carinho pela avó que não vê há tempos para comer um prato de macarrão simples, molho ao sugo, porque no dia seguinte tem aquela prova que espera há tempos…

Agendar as viagens com o calendário esportivo da região a ser conhecida/visitada.

Ficar horas conversando em código, 4 por 1, 5 por 1…

Poderíamos ficar aqui o dia inteiro trocando essas experiências. Citei as que vieram na cabeça, de improviso. 

São inúmeras outras.

Quem não é corredor, não consegue entender mesmo essa “loucura” contagiante. Sinceramente, se não fosse, não entenderia também.

5.7.11

garmin forerunner 110

nossa, cada inovação tecnológica, acredito que adquirir esse relógio será uma excelente aquisição, será um ótimo companheiro para meus treinos diários!



A Garmin apresenta o seu mais novo produto para esportistas: o Garmin Forerunner 110 – uma solução bonita, intuitiva e acessível para corredores que querem saber os dados essenciais do seu treino em tempo-real: velocidade e distância.
Crédito: Divulgação
“O Forerunner 110 preenche as necessidades de corredores de todos os níveis, focando em uma utilização simples mas sem sacrificar a precisão”, disse Dan Bartel, vice-presidente de vendas mundias da Garmin. “Dentro de segundos após iniciar o treino, o relógio já irá lhe informar sua distância, velocidade e tempo de treino. Tudo sem configurações complicadas ou acessórios extras”.

Com inspirações em incontáveis solicitações de corredores durante eventos de corrida (“Me mostre qual é o relógio com GPS mais simples de usar”), o Forerunner 110 é o relógio ideal para quem está tendo seu primeiro contato com a tecnologia de GPS no esporte. Através do monitor cardíaco, o relógio também é capaz de exibir e gravar a frequência cardíaca do usuário. Este dado também é usado no cálculo das calorias queimadas, oferecendo excelente precisão para esta informação.

O relógio é resistente à água e mais fino do que qualquer outro modelo Garmin Forerunner. O Forerunner 110 possui o moderno receptor de GPS SirfStarIV com a tecnologia exclusiva HotFixTM para rapidamente determinar a posição e mantém a recepção dos dados mesmo sob árvores densas ou prédios altos.

O Forerunner 110 está disponível em três cores: preto e cinza, preto e vermelho ou cinza e rosa para adicionar estilo ao corredor, seja durante o seu treino ou até mesmo fora dele.

A bateria é recarregável e dura 8 horas com o GPS ligado ou 3 semanas no modo de economia de energia.

Os dados do treino podem ser enviados para a plataforma online Garmin Connect através de uma conexão USB. O Forerunner é capaz de armanezar em sua memória interna mais de 200 horas de treino. Porém, quando os dados são enviados para o Garmin Connect, os usuários podem rapidamente analisar e compartilhar seus treinos com uma comunidade virtual que possui mais de 20 milhões de atividades de usuários do mundo inteiro. 

fonte:
http://runnersworld.abril.com.br/noticias/garmin-lanca-modelo-simplificado-corredores-244924_p.shtml