22.6.11

maratona

Correr uma maratona é uma opção, não uma obrigação

french riviera marathon,nice cannes marathon,marathon des alpes maritimes,sports tours international,france marathon,running holiday

A corrida é um esporte mais do que democrático. Para nós, amadores, o desafio é pessoal, de nos superarmos, evoluirmos. Há quem opte pela qualidade de vida, para emagrecer… O espaço é para todos. Da mesma forma, ninguém é mais ou menos corredor por fazer uma maratona. Esse é o primeiro ponto.

Agora, a sensação de completar os 42 quilômetros é única. Não assemelha-se nem de longe às distâncias mais curtas. Você sente algo diferente ao concluir a primeira, a segunda, a terceira… É só ficar parado, observando os semblantes na chegada, que você percebe isso facilmente. O que não é visto em nenhuma outra corrida. Esse é outro ponto importante.

Pois bem, então, correr uma maratona é uma opção. Não uma obrigação. Sinceramente, chegar ao final dos 42 km não é tão difícil assim. Preparar-se adequadamente é outra história.

O treinamento da maratona judia. São 15, 16, 18 semanas. É cansativo. Obriga a abrir mão de muitas coisas, ter uma alimentação equilibrada, acordar muito cedo aos sábados para fazer longões e não prejudicar a família… e por aí vai. Quem não faz isso, completa os 42 km? Provavelmente, mas o corpo sentirá muito mais. Pode não ser visível hoje, mas em algum momento a cobrança virá. Tenha certeza.

No domingo, batendo papo com o professor Tadeu Natálio, da Procorrer, de Curitiba, durante a Maratona de São Paulo, o assunto veio à tona. Há muita gente não se preparando adequadamente e partindo para a maratona. Um risco grave.

Tadeu contou a história de uma vez em que era árbitro na Maratona de Curitiba. Antes da largada, um homem veio conversar com ele e perguntar o que iria acontecer. Sabendo que seria uma corrida, perguntou se poderia ir atrás. E foi. Não é que, no final, o professor viu o homem na chegada, com dor em tudo, se contorcendo. “Ah, eu fui indo e cheguei”, disse.

Vou ser ainda mais radical: há muita gente achando que correr é o mesmo que ir dar uma volta no quarteirão com o cachorro. Agindo como o personagem de Curitiba. Que é só colocar o tênis, o shorts e sair por aí… É muito distante disso.

Então, antes de fazer a opção por correr os 42 km, avalie seu treinamento, suas metas, o seu dia a dia.

Se escolher participar, vá para correr a maratona, não apenas para chegar ao final.

fonte: contra-relógio