17.5.11

como enfrentar o frio


Mais uma frente fria está chegando, e a gente continua teimando em correr. Claro que um friozinho ajuda a performance _para maratonas, acho que o ideal é uma temperatura entre 10 e 16 graus_, mas, para um friozão, bom mesmo é cama e chocolate quente.

Podemos ter isso e ainda ir às ruas mexer o esqueleto com um certo conforto, desde que tomemos algumas precauções para não encarangar, não pegar uma gripe nem simplesmente desanimar com o clima adverso.

A primeira medida é vestir-se adequadamente. Se você sair de regata e calçãozinho, vai dar um choque na musculatura e sofrer mais que o necessário.

Para esta época, é bom usar pelo menos bermudas adequadas para corrida ou calças compridas de lycra ou esses materiais ditos "tecnológicos". Camiseta dry-fit ou similar também é bom; para dias mais frios, não se envergonhe de vestir mangas compridas.

Se você for friorento mesmo ou se estiver ventando muito, vista um abrigo mais leve sobre as roupas especiais de corrida. O problema desse vestuário cebola, porém, é que diminui ou elimina o efeito das boas propriedades dos tecidos tecnológicos das camisetas, pois o suor acaba ficando preso sob o agasalho, e depois de um tempo você fica enregelado pelo próprio suor.

Mas isso acontece em treinos longos e sob temperaturas mais adversas. Uma vez, na Alemanha, corri sob uma geada bem fria, e enfrentei o clima com tudo isso que falei e ainda luvas e gorro de lã.

Aliás, essas duas peças são muito importantes, como todos que já correram no frio e no vento já perceberam.

O que talvez muitos não percebam é que mesmo no frio é necessário se manter bem hidratado, bebendo de dois a três litros de água por dia, como de costume. Para mim, é uma das coisas mais chatas e temidas, pois acabo ficando com mais frio... De qualquer jeito, é uma recomendação bem importante.

Outra coisa de que não gosto, mas que aprendi ser fundamental, é o alongamento. No frio, você sai da cama já encarangado, então é bom dar uma acordada nos músculos antes de sair pela porta em desabalada carreira. Um alongamento tranqüilo vai deixar seu corpo mais esperto.

Sei que há muita polêmica nesse terreno, com técnicos e pesquisadores contestando ou defendendo a importância do alongamento. Não sou técnico nem médico, falo do que dá certo para mim. Pode ser que não dê para você, mas não custa tentar.

Por fim, mas não menos importante, você pode simplesmente esquecer todas essas dicas e treinar no quentinho da academia, ao som de música e da balbúrdia do ambiente, em esteiras que lhe dão ritmo constante protetor.

por Rodolfo Lucena