22.12.10

poupar

Poupando para correr
http://revistacontrarelogio.com.br/materia/poupando-para-correr/
(YARA ACHÔA)


Suas finanças podem ser comparadas ao ritmo em uma prova: se você não tem noção do seu fôlego, não faz um planejamento e gasta muito no início, pode ficar sem pique no final. Confira dicas de especialistas para aprender a gerenciar seu dinheiro e realizar seus sonhos de corrida.

Além dos benefícios físicos e emocionais, o que atrai cada vez mais adeptos à corrida é a facilidade de se praticar a atividade. Tanto que é comum ouvir que basta um par de tênis, força de vontade e uma rua para sair correndo por aí. Claro que pode ser simples assim.

Mas com o envolvimento na atividade, participação em uma ou outra prova, aquisição de um calçado ou um relógio mais incrementado ou mesmo uma viagem para correr fora de sua cidade, sem perceber você está mexendo em seu orçamento doméstico. Já parou para pensar quanto você gasta com a corrida? Já colocou na ponta do lápis quanto custa realizar seus sonhos com o esporte?

Os gastos por prova podem pesar no bolso. Afinal, além da inscrição no evento estão envolvidas despesas como tênis, roupas e equipamentos. Participar de corridas fora da sua cidade implica um reforço ainda maior no caixa: dependendo da distância, do meio de transporte, da hospedagem, do tempo que se vai passar no local, pode-se pensar em cifras a partir de 500 reais para viagens nacionais e mil dólares (por volta de dois mil reais) para as internacionais.

Por tudo isso há que considerar as contas mensais - o famoso orçamento - como quem encara o desafio de baixar o recorde pessoal em uma corrida. "É comum você começar com as despesas de casa: aluguel, prestação, condomínio, água, luz, telefone... Em seguida vêm as dívidas: cartão de crédito, financeiras. Depois, a escola dos filhos, plano de saúde, remédios, cabeleireiro, transporte, roupas, presentes, mesadas etc. E rapidamente chegamos a 15, 20, 25 contas. Curiosamente, existem coisas que ou ficam por último ou nunca aparecem quando as pessoas contam nos dedos: alimentação, lazer, impostos e despesas com investimentos", constata a economista Eliana Bussinger, autora do livro Dieta do Bolso - Disciplina para seu Bolso e seu Corpo (Editora Campus) e colunista do site infomoney.com.br. Nesses gastos invisíveis estão também seus custos com a corrida.


VOCÊ CONHECE SUAS CONTAS?
 Antes de reservar um dinheiro para as corridas ou qualquer outro projeto, é preciso fazer um diagnóstico financeiro. "Descubra para onde vai cada centavo de seu dinheiro", aconselha o educador financeiro Reinaldo Domingos, presidente do Instituto DSOP de Educação Financeira e autor dos livros Terapia Financeira e O Menino do Dinheiro (Editora Gente).

Para a economista Eliana Bussinger, as contas podem ser divididas em:

- As que você terá de pagar pelo resto da vida (água, luz, telefone).
- As que você não quer pagar pelo resto da vida, de jeito nenhum (cartão de crédito, financeiras).
- As que você está odiando pagar (essa lista é pessoal).
- As que você deveria estar pagando e não está (plano de saúde, previdência, poupança, academia, seus sonhos de corrida).

"Coloque-as no papel, das pequenas às maiores, não deixe nada de fora. Analise-as, rabisque-as, irrite-se e depois decida alguma coisa. É preciso ter um controle concreto do dinheiro. Não dá para confiar na contabilidade mental", diz a especialista.

Se você já faz isso, ótimo. Mas só orçamento não basta. "Anotar só os gastos que se foram seria como correr pela estrada da vida financeira olhando para trás. E os riscos de se levar um tombo, ter um torcicolo ou ser atropelado são grandes. Lembre-se que existe um futuro - uma linha de chegada - e para que ele seja bom é preciso planejamento", ensina Eliana.

QUERO TODAS. Tem horas em que a empolgação é grande e quando você percebe, vai participar de três ou quatro provas no mês, que podem ter inscrições totalizando mais de R$ 200 - isso quando não envolvem viagens. "É preciso atenção: não é só a inscrição, existem mais valores envolvidos como material esportivo, deslocamento, alimentação", diz o educador financeiro Reinaldo Domingos.

Para a economista Eliana Bussinger, tudo tem que estar previsto. "Ao traçar seu calendário de provas do ano, já reserve uma parte de seus ganhos para esse tipo de evento. E lembre-se: a vida é multifacetada, é preciso dar atenção a seus diversos segmentos. Não basta só acumular saúde. Um sonho importante de ser realizado é a segurança financeira, para ter qualidade de vida na velhice".

A MARATONA NO EXTERIOR


 Uma prova fora do país representa um momento mágico na vida de muitos corredores. Geralmente é a possibilidade de aliar corrida e lazer. E quanto mais cedo você começar a planejar, melhor. "Torne seu sonho específico. Quanto mais focado for, mais tangível e mais fácil de concretizar será. Por exemplo: determine correr a Maratona de Nova York, em novembro de 2011. E comece a buscar desde já maneiras de realizar o projeto. Levante quanto custa a inscrição, a passagem aérea, a hospedagem... Com isso, você transforma seu sonho em um objetivo financeiro. Em seguida, avalie o que terá de fazer em termos de finanças, quanto poderá reservar para seu objetivo", ensina a economista Eliana.

Todos os sonhos podem ser realizados. "Tudo depende da intensidade que se coloca em cada um deles. O ato de iniciar a poupança para a concretização de um objetivo passa em primeiro lugar pelo emocional, ou seja, pelo desejo de realização! Aconselho dividir os sonhos em de curto (até um ano), médio (até 10 anos) e longo prazo (acima de 10 anos), sempre sabendo seu preço e quanto será preciso guardar por mês para sua realização", diz Reinaldo.

CONTROLE SEUS IMPULSOS.
 Seja na hora de fazer a inscrição naquela prova badalada que seu melhor amigo também vai participar, seja diante daquela oferta fantástica de tênis no exterior, é preciso controlar os impulsos antes de colocar a mão no bolso. "O cérebro é dividido em dois. O sistema límbico cede às tentações sem pensar. O córtex pré-frontal racionaliza, mas precisa de um tempo para agir. Sugiro então respirar fundo e pensar antes de gastar. Veja se estará abrindo mão de alguma coisa para realizar outra, se o sacrifício e o endividamento valem a pena". Por exemplo: comprar um tênis caro e dividir o pagamento em vezes não poderá deixá-lo sem dinheiro para as inscrições dos próximos meses? "Geralmente, se bateu indecisão é porque você não precisa daquilo".

Você pode se planejar para correr, viajar e comprar, claro. "Mas reserve dinheiro para tudo, para não se endividar com as tentações", diz o educador financeiro do Instituto DSOP. Para não ficar perdido e gastar mais do que pode, Eliana Bussinger aconselha fazer uma lista do que realmente precisa: é uma questão de foco. "É muito comum comprarmos algo que não desejávamos, com o dinheiro que não temos, para impressionar muitas vezes quem nem mesmo conhecemos", completa Reinaldo Domingos.


UMA PLANILHA DE ORÇAMENTO

No site DSOP, do educador financeiro Reinaldo Domingos, você pode baixar gratuitamente uma planilha de orçamento mensal. O link é www.disop.com.br/downloads/downloads.html. "Isso ajudará seu controle mensal e contribuirá para a realização de seus sonhos. Guarde para os sonhos e gaste para a felicidade plena e continua", aconselha o especialista.


PENSE NISSO

- Como na corrida, se você gasta todo seu fôlego de uma vez, pode ficar sem gás no final.
- Se você tem boa performance no esporte, pode ter com seu dinheiro também. Use a mesma determinação do esporte para colocar ordem nas finanças.
- Você não tem tudo anotado em relação a seus paces, batimentos cardíacos, distâncias que percorre? Faça o mesmo com seu orçamento. Não confie na contabilidade mental.
- Não insista em manter um estilo de vida que não combina com sua situação financeira.
- Não gaste mais do que ganha.
- O futuro chega para todo mundo. Esteja preparado.