28.10.09

10 coisas para não esquecer de fazer (antes de uma corrida)

10 coisas para não esquecer de fazer (antes de uma corrida)


POR TOMAZ LOURENÇO

1) Na semana da prova, o melhor a fazer é privilegiar o "descanso ativo", ou seja, realizar trotes, sem forçar, e na véspera colocar a leitura em dia ou assistir tudo que tiver (e o que não tiver) de bom na TV. Devidamente sentado ou, melhor ainda, quase deitado.

2) Vai buscar o kit? Veja o que exatamente a organização pede para que se leve de documentos e comprovação. Checou o local e o horário dessa entrega?

3) Depois de pegar o kit procure sempre fazer a checagem do chip, para ver se seu nome está certo, sua faixa etária e até mesmo o sexo. Caso contrário, só vai lhe restar lamentar se seu resultado sair todo errado.

4) Você já ouviu falar de não inventar nada na véspera nem no dia, em termos de alimentação, certo? Pois isso é certo mesmo! Nada de ficar tentado a experimentar uma refeição que um amigo falou ser infalível para correr mais rápido ou para ganhar resistência. Não há milagre de última hora!

5) Também já cansou de ler/ouvir para não experimentar roupa/tênis/meia novos numa prova, especialmente as mais longas. É igualmente verdade, mas nem tanto como no item anterior, porque esses acessórios estão cada vez vindo mais "amaciados". Pode ser mais importante dar uma olhada nas unhas dos pés, para ver se nenhuma tem chance de incomodar durante a corrida.

6) Se possível, saia de casa no dia já com tudo em cima (número preso na camiseta, chip no tênis etc) e com boa antecedência. Não tem coisa pior do que chegar em cima da hora numa prova, sem tempo de ir ao banheiro, de deixar a roupa no guarda-volume etc.

7) Vai correr uma prova mais longa do que está acostumado e/ou está um dia frio? Então tem que passar vaselina nas áreas de atrito (entre as coxas, na parte genital, nos mamilos). Boa opção é correr com uma camiseta fina e regata por baixo, que protege os mamilos e também do frio.

8) Esta recomendação ainda encontra alguma rejeição, mas vamos relembrá-la: não é necessário alongar naqueles momentos que antecedem a largada. Segundo pesquisas a respeito, esse alongamento prévio não previne lesões e muito menos ajuda a correr melhor.

9) Também outro ponto que vem sendo destacado pela revista. Se hidratar é muito bom logicamente, mas não precisa ficar tomando um porre de água ou outras bebidas quaisquer antes da largada. Não é necessário exagerar, mesmo porque hoje praticamente todas as provas oferecem excelente abastecimento no percurso (em alguns casos até demais), mas nem todas disponibilizam muitos banheiros pelo trajeto...

10) Tudo pronto para largar? Quase! Porque é fundamental amarrar bem o tênis, para não ser obrigado a parar no caminho, especialmente em dias chuvosos, provas longas ou quando se transpira muito (ou joga-se água no corpo, escorrendo para os pés). A solução é simples: dê o laço que costuma fazer, mas depois pegue os cadarços e faça um nó cego em cima. É infalível!

20.10.09

época é de muito sol

época é de muito sol... aproveite para esquentar seu conhecimento!!!


Esta época do ano as farmácias e drogarias começam a preparar seus estoques de protetores solares, bronzeadores e produtos afins.

Podemos observar este fenômeno todos os anos e geralmente as dúvidas sobre os protetores se arrastam de ano para ano... " o que é mesmo PABA? E "oil free"? Falamos em UVA e UVB, mas será que se o cliente perguntar o que é PPD e IPD, dá para explicar?

Vamos abordar o assunto dos protetores solares e afins....

Muitas pessoas gostam de tomar banho de sol porque acham que o bronzeado que adquirem sugere um estilo de vida moderno e ativo. Infelizmente acabam se esquecendo dos perigos trazidos pelo sol em excesso. Ele não apenas acelera o envelhecimento da pele, mas também aumenta os riscos de câncer de pele.

O uso do protetor solar não deveria estar associado à exposição direta ao sol e sim a exposição diária aos raios ultravioleta, inclusive os raios emitidos pela iluminação artificial.

É importante ter consciência de que o bronzeado pode estar sinalizando o início de um sério problema. O bronzeado nada mais é do que a pele tentando proteger-se danos dos raios solares.

O bronzeamento ocorre, por uma intensificação da produção de pigmento pela pele. Este pigmento é chamado melanina.

Os raios de sol são formados de luz invisível, raios ultra-violeta e raios infra-vermelho. Os raios ultra-violeta (UV) são divididos em três tipos:
• UVA
• UVB
• UVC

A radiação solar que atinge a pele consiste em raios ultra-violeta UVA e UVB. Os raios UVC não atingem a pele porque são absorvidos pela camada de ozônio da atmosfera (não atingem a superfície da terra).

Os raios UVA atingem a camada intermediária da pele (derme), e a exposição excessiva causa danos irreversíveis, incluindo degeneração dos tecidos e rugas. A radiação UVA é a principal causa do envelhecimento precoce da pele.

Os raios UVB penetram na camada mais externa da pele (epiderme), onde ocorre a regeneração das células. A exposição demasiada aos raios UVB causa queimaduras. Repetidos processos de queimaduras durante a vida aumentam os riscos de câncer de pele.

Existem diferenças entre bronzeadores e filtros solares - o bronzeador é constituído por filtros químicos que absorvem radiações UVB na superfície da pele e deixam passar radiações UVA. O protetor solar deve conter filtros químicos UVB e UVA, que absorvem estas radiações na superfície da pele, podendo estar associado ou não a filtros físicos.

Entre os bronzeadores temos os simuladores de bronzeado, destinados a promover o escurecimento da pele por aplicação externa, dispensando a exposição às radiações solares.

*Bronzeamento à sombra: Todos sabem que a exposição excessiva ao sol pode causar câncer de pele e envelhecimento precoce. Os auto-bronzeadores contém um ingrediente ativo denominado dihidroxiacetona (DHA), um açúcar simples, não-tóxico encontrado no óleo de peixe. A DHA bronzeia a pele em um processo chamado reação Maillard, mais conhecida na engenharia de alimentos para fabricação da cerveja de cor marrom dourada. As proteínas em nossa pele interagem com tais açúcares para criar os compostos de cor marrom e marrom dourada. A DHA não penetra além da parte exterior (camada morta) da pele.

Os bronzeadores não promovem maior pigmentação, pois a capacidade de pigmentação individual está pré-determinada geneticamente. Uma pessoa com pele muito sensível, jamais poderá adquirir um bronzeado como o de outra pessoa de pele normal.

Os bloqueadores solares são aqueles de proteção máxima, impedindo a passagem das radiações UVA e UVB, diretas ou refletidas, de origem solar ou não.

Termos úteis:

FPS: Fator de Proteção Solar: quantidade de radiação solar a mais que a pele consegue agüentar, EXPERIMENTALMENTE, sem formar eritema

IPD e PPD: Fator de Proteção anti-UVA: quantidade de radiação UVA a mais que a pele consegue agüentar, EXPERIMENTALMENTE, antes de formar a pigmentação específica do bronzeado.

Anti UVA e UVB: filtros que protegem contra os raios ultravioleta A e ultravioleta B.

Hipoalergênico: utiliza substâncias que geralmente não provocam alergias. Livre de PABA ou "PABA Free": filtros que não contém a substância PABA (Paraminobenzóico), que tem alto poder de causar alergias.

Livre de óleo ou "oil free": filtros cujos veículos não contém substâncias oleosas. São os mais indicados para pessoas de pele oleosa ou com tendência à formação de cravos e espinhas.

Não comedogênico: filtros que não obstruem os poros, evitando assim a formação de cravos. São também indicados para pessoas de pele oleosa e com tendência à formação de cravos e espinhas.

Lembre-se, FPS é somente um número aproximado. A umidade, a transpiração, a água e o vento, estão entre os fatores que podem reduzir o tempo de exposição segura.

Permanecer na sombra em dias ensolarados não evita queimadura solar. Mesmo na sombra podem ocorrer queimaduras severas, provocadas por raios refletidos.

Para evitar queimaduras, oriente o cliente a aplicar cremes ou loções com filtro solar em todo corpo, de 20 a 30 minutos antes da exposição ao sol. Ao adquirir ou indicar um desses produtos, preste atenção no fator de proteção: quanto mais clara a pele, maior deve ser o fator de proteção.

Lembre-se também que um bom Protetor deve oferecer:

• Proteção contra UVA e UVB

• Predomínio de protetores físicos

• Ser resistente à água

• Fragrâncias hipoalergênicas ou ausentes

• Ter boa absorção e espalhamento

Os produtos como as loções e géis pós-sol, são benéficos para devolver a hidratação da pele e ajudar na manutenção do bronzeado. Lembre-se de oferecer estes produtos e agrupa-los próximos aos Protetores e Bronzeadores.

Dra. Giovanna Dimitrov